122189424 2714008358854326 358100867335019146 oO Centro de Aprendizagem e Capacitação da Sociedade Civil (CESC) e a Associação Progresso lançaram no mês de Outubro, na cidade de Quelimane, província da Zambézia, o Projecto “Engajamento Comunitário no Ensino Bilingue” (ECEB), uma iniciativa financiada pela Agência dos Estados Unidos da América para Ajuda Internacional (USAID).

 

Com duração de 3 anos e avaliado em pouco mais de 184 milhões de meticais, o ECEB visa aumentar o engajamento da sociedade nas intervenções que criem um ambiente propício e sustentável relacionado com a assimilação das competências de leitura nas classes iniciais.

Intervindo no discurso de lançamento, o representante do Governador da Província da Zambézia, Joaquim Oficial, instou aos actores envolvidos na implantação do projecto ECEB, bem como aos beneficiários e os cidadãos no geral, a socializarem-se e divulgarem a iniciativa.

“A socialização e divulgação deste projecto e das suas actividades, deve ser a nossa prática, isto é, as comunidades, escolas e todos os actores do sistema de educação, provincial e distrital devem se apropriar desta estratégia e a sua filosofia” disse.

Na ocasião, convidou igualmente aos presentes a continuarem a pautar pela melhoria da qualidade de ensino na província e no país em geral, bem como a divulgar a importância do ensino bilingue.

 

MINEDH reconhece o papel das organizações implementadoras

O Ministério da Educação e Desenvolvimento Humano (MINEDH) congratula a USAID, o CESC e a Associação Progresso pela iniciativa ora apresentada, segundo disse o Chefe do Departamento de Administração e Gestão Escolar no MINEDH, João Chilaule.

“É bem conhecido e reconhecido o papel e as actividades destes parceiros, pois foram os pioneiros no apoio à educação bilíngue e alfabetização para jovens e adultos nas línguas locais. Estas organizações têm o histórico de apoiar a produção de livros infantis em Português e em línguas faladas localmente e de materiais de leitura complementar para o ensino primário, que foram aprovados e adoptados pelo MINEDH” - disse Chilaule.

Este gestor solicitou as organizações a privilegiarem a coordenação das actividades com a Direcção Provincial da Educação e os respectivos serviços distritais, bem como com as organizações da Sociedade Civil a nível local e o Programa “Vamos Ler”, de modo a alcançarem resultados que beneficiem os alunos.

 

Uma resposta aos vários desafios da área da Educação

Para a Directora Executiva do CESC, Paula Monjane, a iniciativa ECEB configura uma das respostas da sua organização e da Associação Progresso, contra vários desafios do sector da educação.

 

“Apesar do progresso significativo de Moçambique na última década na expansão do acesso à educação, apenas uma percentagem insignificante de crianças alcança as competências de leitura e escrita exigidas. Em 2016 eram menos de 7%.  A Zambézia é uma das províncias que apresenta níveis mais baixos em termos de alcance de competências de leitura e escrita exigidas.”, considerou.

Neste sentido, Paula Monjane considera proveitosa a relação que o CESC mantém com a Associação Progresso no quadro do ECEB, tendo em conta a relação que as duas instituições têm estabelecido no sector da educação.

“Ao aliarmos os nossos esforços a Associação Progresso para a implementação do Projecto, visamos combinar o considerável conhecimento, experiência e especialização técnica que as nossas organizações possuem nas áreas de educação e envolvimento da comunidade para atingir o objectivo de conscientizar os encarregados e as encarregadas de educação e a comunidade sobre a importância da educação bilingue e o seu papel na educação dos seus filhos e filhas; o envolvimento dos encarregados de educação e comunidades na leitura em casa e na comunidade; e o aumento do engajamento dos Conselhos de Escola e comunidades na monitoria da perda de tempo de instrução e dos assuntos ligados a igualdade de género na educação, uniões prematuras e violência baseada no gênero na escola e nas famílias”, finalizou.

O ECEB está sendo implementado 6 distritos na província de Zambézia, nomeadamente Alto-Molócue, Gilé, Namarroi, Lugela, Namacurra e Mocuba, visando alcançar 760 escolas e comunidades circunvizinhas, até ao ano de 2023.

 

Newsletter

Parceiros financiadores:

usaiddiakoniaagirsueciapaisesbaixosdanidaswiss

governopaaneueukaidirishaidcounterpart